Análise de Min klais

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Print this pageEmail this to someone

Não chores e não lamentes porque anoitece.
A vida de quem experimenta a pobreza a cada dia é a de enfrentar o vento e as chuvas que batem com força à altura das janelas.

Este é o espírito do disco emblemático de 1980 chamado “Laika Proastia” (numa tradução livre “Subúrbios Populares”), com letra de Mixalis Bourboulis e música de Ilias Andriopoulos. Deste trabalho, escolhemos hoje a canção “Min klais” (Não chores), interpretada pela grande “rebetissa” Sotiria Bellou.

Min klais está inserida em um álbum que tem sua própria história. Inicialmente era para ser chamado apenas de “Proastia” (Subúrbios), mas Andriopoulos acabou adicionando também o adjetivo “laika” (populares) ao título. Outras alterações em duas letras (“Stis laspomenes geitonies” e “Laika proastia”, que dá nome ao álbum), acabaram deixando o letrista Mixalis Bourboulis desapontado, a ponta de retirar o seu nome dos créditos das composições.

Mas, voltamos à canção analisada hoje… Min klais carrega a pesada carga emotiva que marca todo o álbum. Laika Proastia é um trabalho envolvido por temas que partem da opressão, passando pelo exílio, a imigração, a pobreza dos subúrbios. É um disco que fala das experiência do povo abandonado, desiludido, esquecido e, talvez por isso, ainda hoje ecoa forte nos ouvidos desse mesmo povo. Min klais e Plateia Vathis são duas canções que tocam, emocionam quem compreende a profundidade das suas letras e cujas melodias podem tocar fundo no coração de quem não entende uma palavra de grego.

A canção começa como um hasapiko bem lento, marcado pela melodia triste de uma gaita (fysarmonika) que embala a forte voz de Sotiria Bellou, que pede:

Μην κλαις και μη λυπάσαι που βραδιάζει (Não chores e não lamentes porque anoitece)
εμείς που ζήσαμε φτωχοί (Nós que vivemos pobres)
του κόσμου η βροχή δε μας πειράζει (Não nos incomoda a chuva do mundo)
εμείς που ζούμε μοναχοί (Nós que vivemos solitários)

O refrão se inicia com uma passagem rítmica para o zeimbekiko. Aqui Bellou empresta sua voz para que os marginalizados cantem sua vida sofrida:

Τα σπίτια είναι χαμηλά (As casas – nossas casas – são baixas)
σαν έρημοι στρατώνες (Como quarteis desertos)
τα καλοκαίρια μας μικρά (Nossos verões são curtos)
κι ατέλειωτοι οι χειμώνες (E os invernos, intermináveis)

E continua a cantar a vida dura, sonhando com tempos melhores:

Μην κλαις και μη φοβάσαι το σκοτάδι (Não chores e não temas a escuridão)
εμείς που ζήσαμε φτωχοί (Nós que vivemos pobres)
του κόσμου η απονιά δε μας τρομάζει (A crueldade do mundo não nos assusta)
θα έρθει και για μας μια Κυριακή (Chegará um domingo para nós também)

Aprendendo grego

A palavra não

Uma das primeiras dificuldades que eu tive ao aprender grego foi diferenciar as formas de usar a palavra “não”, ou seja, usar a forma negativa. Na verdade, é bem simples. Só temos que saber em que contexto nossa frase está sendo construída.
Existem (que eu conheça e se não estou esquecendo nada, hehehe) três formas básicas de dizer usar o não em grego.

 

a) Negação de verbos
Para construir a negação de verbos, usamos a palavra δεν acompanhada pelo verbo. Na nossa canção de hoje temos dois exemplos em duas frases. Aliás, eles estão em dois versos escritos de forma invertida, que é muito comum na música grega:

του κόσμου η βροχή δε μας πειράζει
του κόσμου η απονιά δε μας τρομάζει

Colocando a ordem para sujeito + predicado temos:

η βροχή του κόσμου δε μας πειράζει (a chuva do mundo não os incomoda)
η απονιά του κόσμου δε μας τρομάζει (a crueldade do mundo não nos assusta)

Note, no entanto, que o ν final pode ser omitido diante de certas palavras (ficando somente δε).

Outros exemplos:
Δεν είμαι εκεί. (Não estou aí)
Αν δεν ήμουν τραγουδιστής θα ήμουν ζωγράφος. (Se eu não fosse cantor, seria pintor)
Δεν αντέχω άλλο! (Não aguento mais!)
Δε θέλω! (Não quero!)

 

b) Partícula negativa
A partícula negativa “não” em grego é a mais fácil de lembrar. É o nosso conhecido όχι. Diferente do δεν, ele não tem nada a ver com verbos:

Όχι τώρα! (Agora não!)
Όχι ακόμα. (Ainda não)
– Ο Γιάννης είναι στο σπίτι; – ‘Οχι! (- O Giannis está em casa? – Não!)

Compare com os exemplos abaixo, onde aparece o δεν:

Όχι, δεν σ’αγαπάω. (Não, não amo você)
– Ο Γιάννης είναι στο σπίτι; – ‘Οχι, δεν είναι! (O Giannis está em casa? Não, não está!)

 

c) Imperativo negativo
É formado com a palavra μην (ou μη). Para dar instruções ou comandos na forma negativa, usamos μην seguido pela forma futura do verbo:

Μην κλαις και μη λυπάσαι που βραδιάζει (Não chores e não lamentes porque anoitece)
Μην κλαις και μη φοβάσαι το σκοτάδι (Não chores e não temas a escuridão)

Também pode ser encontrado após a partícula να:
Για να μην περιμένω μέχρι το Φεβρουάριο (Para não esperar até fevereiro)

Ou para formar palavras com sentido oposto:
μη ηλεκτροδοτούμενα (não eletrificados)
μη-ακαδημαϊκές δραστηριότητες (atividades não acadêmicas)

Bom, pessoal, por enquanto era isso! Espero que tenham gostado!
Se tiverem alguma coisa a complementar, comentar ou corrigir, fiquem à vontade. Podem usar nossa caixa de comentários logo abaixo ou nos enviar uma mensagem pelo formulário de contato!

Não se esqueçam de assinar o nosso boletim para poderem receber as nossas notícias, análises e traduções direto no e-mail!
Como sempre, να’στε καλά!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *