Xaris Alexiou e a canção de ninar para Anastasia Isaak

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Print this pageEmail this to someone

Quem neste mundo já teve a honra de ter uma canção escrita pela própria Xaris Alexiou? Certamente nem todos têm essa sorte… mas uma garotinha de origem cipriota chamada Anastasia Isaak teve.

Hoje nós contamos um pouco da história por trás da letra de uma das canções mais lindas da nossa talentosíssima “Xaroula” chamada “To tragoudi tou xelidoniou” (A canção da andorinha).

Meu primeiro contato com essa música foi através de uma fita cassete que ganhei de presente da Rádio Voz da Grécia há uns quinze anos. No final do lado A achei essa pérola, basicamente uma canção de ninar, meiga, doce e terna como devem ser as canções do gênero.

Ouvi repetidas vezes a música, mesmo sem entender grego direito. Só muitos anos depois compreendi o que há por trás de tamanho sentimentalismo, colocado no papel e musicado pela própria Alexiou:

Έλα εδώ κοντά (Venha aqui perto)
να σου δώσω ένα φιλάκι (Para eu te dar um beijinho)
έλα μη μου κλαις (Venha, não chore)
άσπρο μου χελιδονάκι (Minha pequena andorinha branca)

“To tragoudi tou xelidoniou” foi escrita um ano após o assassinato de Tasos Isaak, hoje considerado herói nacional no Chipre e na Grécia. Para quem não conhece essa história, aqui vai um pouco…

O Chipre é uma ilha dividida, habitada por gregos e turcos, ocupada militarmente pela Turquia ao norte desde 1974. Em agosto de 1996 um grupo de motociclistas resolveu marcar os 22 anos da divisão da ilha partindo de Berlim e chegando a Nicosia e Cirênia. Um dos objetivos era protestar ao longo da chamada “Linha Verde”, uma linha de cessar-fogo que divide Nicosia em duas partes. Ao mesmo tempo os chamados “Lobos Cinzentos”, um grupo de direita pró-Turquia, marchava em direção ao local dos protestos. O resultado dos embates foi a morte de Tasos Isaak, um jovem refugiado cipriota atacado com pedras, chutes e machadadas ao ficar preso nos arames farpados que cruzam a área.

Mas o que uma canção de ninar tem a ver com a morte de um jovem manifestante?

To tragoudi tou xelidoniou foi escrita para a pequena filha de Tasos, Anastasia, que não chegou a conhecer o pai, pois ainda estava no ventre de sua mãe quando da morte dele. A canção teria sido inspirada na foto do bebê nos braços de sua mãe, Maria. Certamente foi com essa imagem e os fatos relativos a ela que Xaris Alexiou escreveu e compôs “To tragoudi tou xelidoniou”, uma das canções mais bonitas do seu repertório. A letra se mostra como uma canção de ninar na qual a filha é embalada com promessas de que a vida para ela será bonita, cheia de encantos e alegrias. A filha, chamada na canção de “a andorinha”, ou “anjinho”, não deve temer, pois contará com a proteção divina contra as coisas ruins deste mundo:

Ο Θεός να μας φυλάει (Que Deus possa nos guardar)
από μάτι που κοιτάει πονηρά (Do olho ardiloso)
Ο Θεός να μας σκεπάζει (Que Deus nos proteja)
όταν η ψυχή τρομάζει την χαρά (Quando a mente teme a felicidade)
Πες μου, τι σε πολεμάει; (Diga-me, o que é que te combate?)

Mais abaixo, para combater o choro do anjinho, escutamos esses versos:

Γέλασε ξανά (Ria novamente)
κρυσταλλένιο μου αγγελούδι (Meu anjinho de cristal)
η άνοιξη να `ρθει (Que venha a primavera)
να φωτίσει το τραγούδι (E ilumine a canção)

Toda a natureza estará ao lado do pequeno anjo, assim como é o desejo que quem o embala com esta canção:

Μέλισσες και πεταλούδες (Que abelhas e borboletas)
να στολίζουν τις φτερούγες που φοράς (Enfeitem as asas que você veste)
και τα σύννεφα ν’ ανοίξουν (E que as nuvens se abram)
τον Θεούλη να σου δείξουν, να μιλάς (Para te mostrarem Deus, para você falar)
Να σταθώ κι εγώ στο πλάι (E que eu possa estar ao lado)

E abaixo, mais algumas promessas. Esta parte talvez possa ser interpretada de forma diferente. Parece estar endereçada ao próprio povo cipriota:

Με τραγούδια και ζαφείρια (Com canções e safiras)
θα σου κάνω τα χατίρια (Te satisfarei os desejos)
Μην πονάς (Não sofra)
θα σου στείλω εγώ δελφίνια (Vou te mandar golfinhos)
απ’ την Πάφο ως την Κερύνεια να γυρνάς (Para que você regresse de Pathos até Cirênia)
όλες του νησιού τις χάρες να φοράς (Para que você traga todos os encantos da ilha)
χελιδόνι, τη ζωή να τραγουδάς (Andorinha, para você cantar a vida)

Apesar de todo o fundo político, To tragoudi tou xelidoniou não deixa de ser uma bela canção com a qual as mães gregas ainda hoje fazem seus bebês dormirem.

Aprendendo grego

Diminutivos

Diminutivos têm tudo a ver com nossa canção de ninar de hoje 🙂 Eles são muito comuns em grego, usados para referência a pessoas ou coisas, geralmente de maneira carinhosa.

Na nossa canção de hoje temos alguns exemplos. Logo no primeiro verso, temos as palavras φιλάκι (beijinho) e χελιδονάκι (pequena andorinha), cujas origens são, respectivamente, φιλί (beijo) e χελιδόνι (andorinha).

Έλα εδώ κοντά (Venha aqui perto)
να σου δώσω ένα φιλάκι (Para eu te dar um beijinho)
έλα μη μου κλαις (Venha, não chore)
άσπρο μου χελιδονάκι (Minha pequena andorinha branca)

Em grego, cada substantivo pode ter o seu próprio diminutivo. Ele varia de acordo com o gênero e pode demonstrar afeição ou indicar o tamanho diminuto de alguma coisa.

1) Palavras masculinas geralmente terminam em -άκης e -ούλης:
Ο Αντώνης > Ο Αντωνάκης (Antônio > Antoninho)
Ο Θεός > ο Θεούλης (Deus > Deusinho – ou somente Deus com sentido de afeto)
Ο παππούς > Ο παππούλης (Avô > Avozinho)

2) Palavras femininas geralmente terminam em -ίτσα e -ούλα:
Η Ελλάδα > Η Ελλαδίτσα (Grécia > Pequena Grécia)
Η Ελένη > Η Ελενίτσα (Eleni > Eleninha)
Η μάνα > Η μανούλα (Mãe > Mãezinha)
Η Χάρις > Η Χαρούλα (Xaris > Xaroula)

3) Palavras neutras geralmente terminam em -άκι:
το φιλί > το φιλάκι (Beijo > Beijinho)
το χελιδόνι > το χελιδονάκι (Andorinha > Pequena andorinha)

Além dessas, existem ainda as terminações -άκος , -ούδι, -όπουλο, -αράκι, -ουδάκι, -ίδιο e -ίσκος:
Ο γέρος > Ο γεράκος (Velho > Velhinho)
Ο άγγελος > Το αγγελούδι (Anjo > Anjinho)
Ο παππούς > Ο παππούλης (Avô > Avozinho)
Ο βοσκός > Ο βοσκόπουλο (Pastor > Pastorzinho)
Ο κράτος > Το κρατίδιο (Estado > Pequeno estado)
Το αστέρι > Ο αστερίσκος (Astro > Asterisco)

Perceba que, dependendo da terminação, o diminutivo pode mudar de gênero e sair, por exemplo, de um substantivo masculino para um neutro ou vice-versa:
Ο άγγελος > Το αγγελούδι (masculino > neutro)
Το αστέρι > Ο αστερίσκος (neutro > masculino)

Bom, gente, era isso por hoje. Espero que tenham curtido mais essa análise! Qualquer comentário, correção, o que quiserem dizer, é só usar nosso formulário de comentários logo abaixo ou nos mandar uma mensagem. E por que não assinar a nossa newsletter e receber as nossas novidades direto no seu email??? É só deixar o seu email, rápido e simples.

Até a próxima!!! Γεια χαρά!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *